Samba Sá Pereira

Papito
Diga lá, você/
Quando o bicho pega/
Você tem fome de quê?

Tem gente que acorda cedo /
com fome de trabalhar
Tem gente que nessa hora
já prefere namorar
tem fome que ataca a gente
bem no meio do “querer”
a fome melhor do mundo
é a fome do saber

Diga lá, você/
Quando o bicho pega/
Você tem fome de quê?

Comida falta numa mesa
E sobra em outro lugar
E isso só se resolve
Passando de lá pra cá
Dividir é arte de mestre
Em toda situação
A fome é que determina
o tamanho da porção

Diga lá, você/
Quando o bicho pega/
Você tem fome de quê?

A fome que come o homem
Trabalha em todo lugar
Quem tem fome não tem tempo
de ouvir tanto bla,bla,bla....
É na escola que se aprende
Que a fome tem solução
Na mesa da Sá Pereira
Tem cultura, arte e diversão

Panela no fogo barriga vazia
Saco sem nada não para de pé
No bloco da Sá Pereira
A fome é de samba no pé
Panela no fogo barriga vazia
Saco sem nada não fica de pé
No bloco da Sá Pereira
A fome é de samba no pé.
No bloco da Sá Pereira
Só não samba quem não quer.
No bloco da Sá Pereira
A fome é de samba no pé.
Samba Sá Pereira

Fast food não me ilude

(Marcelo, Ana Paula, Clarinha e Lulu)
O bloco da Sá Pereira
Mata a fome
De carnaval
Tira essa barriga da miséria
E come um sanduíche natural

Saio pela Capistrano
Eu tô faminto vou desmaiar
Com a cuíca e a barriga roncando
Eu tenho um treco aqui na Conde de Irajá

------------------------
Fast food não me ilude
Sou integral, não leve a mal
Mas ninguém resiste:
Batata frita e uma pizza na Cobal
------------------------
(2 vezes)

Me empanturro com saúde
Tá gostoso o carnaval
Eu sou orgânico
Não faço mal

Pega uma pipoca no Pedrinho
Corre corre "vamo" nessa
Quem tem fome tem pressa

-------------------------
Sá Pereira faz crescer
Molecada tem fome de quê?
-------------------------
(2vezes)
Fast food não me ilude

Você Tem Fome de Quê? (1)

Oswaldo G. Pereira
Nesse carnaval
Vou pegar uma panela de metal
E vamos lá batucando
Vamos lá remexendo sem parar
Quem quiser chegar
Vem seguindo esse cheiro
De tempero pelo ar

Você tem fome de quê?
O meu bloco quer saber
Desse apetite que nos faz crescer

Você tem fome de quê?
O meu bloco quer saber
Desse apetite que nos faz crescer

Tucupi, sashimi
Com petit pois
Eu já posso até voar
Pro Pará, pra Paris e Japão
Vatapá, mungunzá
Fazem meu pensamento
Guardar o tempo em que nasceu
Meu avô no sertão

Pão-de-queijo, tutu com torresmo
Bom mesmo é ficar de férias
Com meus avós no interior
A alegria oferece fruta na feira
A poesia que eu aprendo na Sá Pereira
Tem tanto sabor

Mas vejo tanta gente esquecida
Sem caminho e sem comida
Estrelas perdidas do próprio calor
Que vou semear no vento
O alimento de que o mundo mais precisa
Que se chama amor
Você Tem Fome de Quê? (1)

Fome de Quê?

Fernando (F2T)
Você tem fome de quê?
Você tem fome de quê?

Tem fome de andar
Fome de brincar
Fome de estudar
Fome de caminhar
Fome de dançar
Fome de estudar

Tenho fome de dançar
Tenho fome de estudar
Tenho fome de dançar
Tenho fome de cantar

Isso é minha fome
Mas que fome assim
Quero sanduíche
Fome de Quê?

Nosso Carnaval

Claudio e Marcio Nucci
Você tem fome de quê?
Mostra logo, que é pra todo mundo ver
Você tem fome de quê?
Na Sá Pereira todo mundo vai saber

Faz muito tempo
Que o ser vivo na água nasceu
E com certeza
Para crescer, alguma coisa ele comeu
A vida no planeta Terra
Hoje tão rica de espécies a crescer
Sempre precisou dos alimentos
Cada um com seu sustento
Pela fome de viver

O ser humano
No início só colhia e caçava sem parar
Só muito tempo depois foi que plantou e cultivou,
Domesticou os animais
Surgiram as aldeias e o povo descobriu
Que cozinhar é a melhor maneira
De juntar a gente toda numa festa nota mil

Feijão, arroz, macarrão
Vatapá, mexidão, canja de galinha
Churrasco, empadão, peixe com camarão
O melhor lugar é a cozinha
Sushis e sashimis
Abrindo alas pelo lado oriental
Desfilam com o homus tehine
E assim o nosso time
Faz um grande carnaval

Mas nem só de fartura é a vida
Quando a fome é dolorida
Essa dor não tem igual
Comida não é só comida
Também é a consciência
Para melhorar geral
Nosso Carnaval

Fome Brasileira

Daniel Sztajnberg
Eu tive um sonho, de um mundo tão feliz.
Não havia fome, em nenhum país.
Todos tinham tudo, o que sempre quis.
Acordo assustado com a realidade do meu país:
Fome de escola, fome de lazer. Fome de cultura, fome de saber

Será que assim no “states”? Será que é assim no Japão?
Será que assim em Angola? Será que coisa melhora?

Refrão:
Eu não como hot dog, eu prefiro um Tacacá!
Não me venha de hambúrguer, mas me traz um caviar.
Se tu vem de foie grois, eu pergunto: o que que há?
Minha fome é brasileira, eu prefiro um vatapá.

Você tem fome de quê? Você quer um brigadeiro?
Se você quer um salgado, eu te dou um pão de queijo.
Se é pra pegar a estrada, um arroz de carreteiro.
Se a fome está “braba”, acaí, Feijão Tropeiro.
Fome Brasileira

Samba Sá Pereira 2014

Leo Tucherman
Tem o chá chinês, queijo chique francês
O croquete alemão e o peixe cru do Japão
A laranja daqui o kiwi de acolá
O quindim, o hot-dog, e os quitutes de Iaiá

Graviola açaí, casquinha de siri
Pão quentinho com manteiga
mate gelo e limão
Imagina o mundo onde a multidão
Possa comer e viver bem para brincar de folião

Foi num rabo de cometa
Aqui nesse planeta
Um dia aconteceu
Uma semente brotou
quando a água jorrou
e viu um ser vivo nascer

O peixe saiu com fome do mar
e começou a rastejar
Atrás de um prato de comida
foi assim que começou a vida

O que é que a gente come?
Pastelzinho e caviar
O que é que a gente gosta?
Feijoada e vatapá

O que é que a gente quer?
É ter saúde pra brincar
Aqui na Sá Pereira o carnaval é de arrasar.

Cabral em busca de sabores
Saiu numa expedição
A Santa ceia foi servida
Com muito vinho e pão

Chico Buarque dizia
Que era só botar mais água no feijão
Eu quero botar alhos e bugalhos
Nessa panela de pressão

É pela barriga que a rapariga
Leva o moço ao altar
Dizem que um prato de comida
A ninguém se pode negar

Até o Tico-tico brigou
Por um punhado de fubá
E a maçã de Adão e Eva
Foi só uma mordidinha
E fez todo mundo sambar
Samba Sá Pereira 2014

Sá Pereira
em busca de um prato original

Marcos Magalhães e Nanando
Hoje a Sá Pereira em grande festa
Na melodia vai cantando essa canção
Dar comida para quem tem fome
É como nossa própria alimentação

Separei pimentas e temperos
Em busca de um prato original
Culinária é arte e cultura
Mexe a mistura tira o sal do bacalhau

Se o saco tá vazio
Não vai parar de pé bis
É carnaval no Rio
Tem feijão e acarajé

No mundo perigoso de outrora
A humanidade lutou pra sobreviver
Lá no topo da cadeia alimentar
O homem forte conquistou o seu lugar

Cultivando plantas e sementes
Caçando os antigos animais
Hoje dominamos nossa terra
Abençoados pelos nossos ancestrais

Enche a pança da criança
Vitamina faz tão bem bis
Come peixe, carne e fruta
Pra poder crescer neném. (....e hoje...)
Sá Pereira <br>em busca de um prato original

Você tem fome de quê? (2)

Marcos, Ludmila e Serginho Raiz
Vamos contar uma história
Do hábito alimentar
Para o bem da humanidade
Que a vida se transformou
Desde o tempo dos nômades caçadores
Ao costume moderno
Que a culinária modernizou
Homem veio a todo vapor

Bis
(Você tem fome de quê?
Eu também quero comer
Não pode desperdiçar
Esse gostoso paladar)

De comer e cozinhar
Atravessou etnia
E tradição europeia
Indígena e africana
Surgiram utensílio da cozinha
A comida passou da escala artesanal
Para a industrial gastronomia

Bis
(Fome zero, restaurante popular, transgênicos, segurança alimentar
E nesse embalo que vamos fazer zoeira
No Humaitá com o bloco da Sá Pereira)
Você tem fome de quê? (2)