Relatório de Grupo – Quarto Ano – 2012/1 – Projeto: O Bicho Inventor

Projeto

Começamos...

Rever os amigos, arrumar o material, contar as novidades, conhecer a professora, a sala de aula, o samba da escola... uma delícia!
Começar o novo ano com a farra do carnaval e os preparativos para o bloco alegrou nossos dias!
A expectativa sobre o que iam aprender e estudar em "O Bicho Inventor" também era grande. No ar, a pergunta: "O que será que esses meninos e meninas vão inventar em 2012?"

O Grupo

Que grupo envolvido e sabido! Rapidamente adaptaram-se as novidades e mudanças do novo ano. Durante todo o semestre, estes meninos e meninas mostraram-se curiosos e interessados por nossos estudos e pesquisas sobre a invenção do cinema.
Com bastante autonomia e competência, realizaram as atividades propostas e trouxeram livros e diversos materiais que enriqueceram o Projeto.
Muitas discussões e reflexões permearam nossas tardes e, bastante participativos, contribuiram todo o tempo com ideias e opiniões sobre os diferentes assuntos tratados, nesse período.
Trabalham bem em grupo, mas ainda fica o desafio de diversificarem suas parcerias e perceberem a importância de estarem mais disponíveis para brincar, sentar e trabalhar com todos os amigos.
Foi um semestre muito produtivo e cheio de descobertas para esse querido grupo. Criamos poesias e nos encantamos com os filmes. Deixamos a imaginação nos levar e muitas histórias inventamos. O segundo semestre logo chegará e certamente ainda teremos muito o que inventar.

Carnaval na Literatura

Com a mesma animação do Bloco da Sá Pereira, as crianças ouviram a história "Maria Rosa", escrita por Vera Kelsey e traduzida por Laura Sandroni. O texto conta sobre o grande sonho de uma menina que queria participar do carnaval e conhecer o Rei Momo. O encantamento das crianças aumentava na medida em que apreciavam as ilustrações feitas por Cândido Portinari que deram um colorido especial à história.

Invenções

Inspiradas no samba da Sá Pereira, as crianças planejaram futuras invenções. Vejam algumas:

Mochila a jato - Guilherme Coutinho
Máquina do viver - Artur
Coleira tradutora - Tereza
Espelho do futuro - Maria Luisa
Máquina do Desejo - Henrique
Máquina salvadora de animais - Rafaela

O Bicho Inventor

O que nos impulsiona a criar? Qual a importância do fogo e da palavra no processo de invenções e na evolução do homem? O que significa curiosidade, imaginação? Qualquer um de nós pode ser um bicho inventor? Estas e tantas outras questões agitaram nossas reflexões sobre o projeto institucional, através da justificativa e da charge de Andrew B. Singer que ilustra a capa da nossa agenda. Com os pensamentos inquietos, todos começaram a despertar o “Bicho Inventor” que há dentro de todos nós.

Livros

Durante este ano decidimos fazer algumas viagens no tempo, e por muitos lugares, para descobrirmos como as pessoas viviam antes de tantas invenções. Como fazíamos sem óculos, sem fósforo, sem escova de dentes, sem televisão, telefone, avião?
Todas essas curiosidades e muitas outras estão no livro que escolhemos adotar, "Como fazíamos sem?", de Bárbara Soalheiro, Editora Panda Books
E para nosso deleite literário adotamos também "É tudo Invenção", de Ricardo Silvestrin, da editora Ática.

Tirando a Poesia da Estante

As crianças iniciaram o projeto "Leitores do dia" com o livro “Poesia Fora da Estante”. Com esta leitura conhecemos diversos autores e conquistamos maior intimidade com o texto poético. Cada criança se tornou responsável pela escolha e leitura de alguns poemas para apresentar aos colegas. Para esta atividade foi fundamental o estudo do texto em casa, com antecedência, preparando sua apresentação. Além disso, trocas de informações sobre os autores dos poemas foram bem vindas.

Poesias

Assim, a poesia começou a fazer parte das atividades das nossas tardes. A cada dia um novo poema e informações sobre diferentes poetas coloriram a rotina da turma. Entre sorrisos, brincadeiras e troca de ideias, esses meninos e meninas se aproximaram desse tipo de texto e tomaram gosto pela leitura.

Como Fazíamos Sem?

As crianças trouxeram gravuras de várias invenções. Com elas descobrimos que até pequenas e simples coisas podem ser grandes invenções! As crianças foram desafiadas a criar critérios para organizar e classificar as imagens. Aqui estão algumas das possibilidades pensadas pelo grupo: móveis, eletrodomésticos, transportes, eletrônicos, acessórios, comunicação...
A atividade foi divertida e fez todo mundo pensar.
Esse foi apenas um aquecimento para a leitura do livro “Como fazíamos sem?”, de Bárbara Solheiro.

Estreando com Hugo Cabret

Parece que as crianças encomendaram a criação do filme "A invenção de Hugo Cabret" a Martin Scorsese.
Foi uma tarde muito divertida, todos atentos ao filme e na volta à escola, muitos comentários e indagações sobre a história, cenários e propósitos de Hugo.
Essa estreia no universo da criação do cinema é uma pequena mostra da incursão que faremos aos primórdios da cinematografia. Quem é que se imagina sem cinema?

A Invenção de Hugo Cabret

Desenhos inspirados a partir das ilustrações do livro "A Invenção de Hugo Cabret", de Brian Selznick.

Como Fazíamos sem... Cinema

“Cinema é um sonho que todos sonhamos juntos.”Jean Cocteau

A leitura do livro “Como fazíamos sem”, de Bárbara Soalheiro, será o nosso ponto de partida para refletir com as crianças como era a vida sem tantos objetos que atualmente facilitam nosso dia a dia. Através da organização da autora, pensaremos na história da civilização humana e na importância dos inventos nos diversos setores da vida. Provocaremos diferentes discussões para levantar a relevância da evolução dos meios de comunicação, um dos temas abordados no livro.
Pensando na necessidade do homem em se comunicar através das imagens, desde os tempos da Pré-História, elegemos, dentre tantas possibilidades, a história do cinema.
Pretendemos com esse estudo, fomentar o desejo e a curiosidade pela linguagem cinematográfica, trazendo reflexões sobre o predomínio da imagem, desde o aparecimento da fotografia até a invenção do cinema.
Apresentar o trajeto e o impacto causado por essa nova tecnologia, também será um dos nossos objetivos. Assim como, conhecer um pouco mais dessa linguagem que registra, em som e imagem, acontecimentos que integram povos e territórios e é um valioso instrumento de comunicação, transformação e discussão.

“Esta nova linguagem é dotada de poderes excepcionais de expressão: ela transmite informações e conhecimentos que excedem aos dos textos escolares, contribui para a formação de valores estéticos, morais e sociais que vão sendo estratificados na criança até chegar ao adulto.” Bete Bullara e Marialva Paranhos Monteiro

Cadernos de Projeto

Envolvidos com o estudo sobre a cinematografia, as crianças se inspiraram em diferentes filmes e retrataram cenas de seus filmes favoritos para ilustrar a capa do caderno de Projeto. A criação foi uma divertida atividade para todo o grupo.

Manoel de Barros

Todos estão encantados com a poesia de Manoel de Barros. Inspiradas em seus textos, ampliamos o nosso conhecimento literário e brincamos com os diferentes sentidos das palavras. O autor nos ajuda a refletir e fazer relações com o nosso projeto institucional "O Bicho Inventor".

Um Pouco de Monteiro Lobato

As crianças estão conhecendo a origem de Bicho Inventor, através dos "Serões de Dona Benta". Nos deliciosos fins de tarde do Sítio de Pica Pau Amarelo, a sábia senhora reunia toda a turma e contava mil e uma histórias fantásticas, dentre elas a "História das Invenções", de Hendrik Van Loon. Nesses textos encontramos relatos sobre como surgiram e evoluíram importantes inventos do homem que transformaram nossa vida na Terra. Esses conhecimentos trazem reflexões sobre a leitura do livro "Como fazíamos sem".

Charles Chaplin, Charlot ou Carlitos

Um andarilho desajeitado, de maneiras refinadas, vestindo fraque e sapatos desgastados, chapéu coco, bigode e uma bengala balançante, só poderia ser esse personagem muito querido e considerado um dos mais importantes da cinematografia.
Suas mímicas, pantomimas e cenas do gênero pastelão provocam, ainda hoje, muitos risos na garotada e nos adultos também.
O interesse pela história do cinema ficou ainda maior depois da visita à exposição "Chaplin e sua imagem", no Centro Cultural Helio Oiticica.Todos puderam conhecer as muita facetas de um artista ator, produtor, diretor, escritor, dançarino, roteirista e músico.

Chaplin

"Nós, alunos da F4T, fomos a exposição "Chaplin e Suas Imagens" e descobrimos muitas informações sobre a carreira e a vida desse grande cineasta e ator-diretor. Vimos fotografias e filmes de uma época em que o cinema era mudo e preto e branco. Rimos muito assistindo a cenas de seus grandes sucessos. Nós recomendamos esta exposição para quem quer conhecer um pouco mais deste gênio do cinema e se divertir bastante. Serve para pessoas de qualquer idade." Texto Coletivo

Cinema

As crianças envolvidas com o estudo sobre o cinema fizeram muitas descobertas e reflexões. Depois de conhecer um pouco mais sobre a história do cinema, escreveram para os irmãos Lumière falando sobre a importância de sua grande invenção: o cinematógrafo.

"Caros irmãos Lumière,
A invenção do cinematógrafo foi muito importante. Hoje em dia, no século XXI, nós a usamos muito. Ela nos encanta até hoje e fazemos tudo para melhorá-la, se não fossem vocês não teríamos tanta fantasia em nossos corações.
PS: Nós inventamos o 3D, que permite ver em 3 dimensões (altura, largura e profundidade).
Assinado: Nina do século XXI"

"Do ano de 1895 até hoje o cinema evoluiu muito e vocês iriam gostar se estivessem aqui. Agora, vocês também iam mudar de ideia em ter falado que o cinema era uma invenção sem futuro."
Vicente

"Irmãos Lumière, a invenção de vocês trouxe um outro olhar para as pessoas. Através de uma tela, elas passaram a olhar melhor o mundo da imaginação..."
Guilerme Leal

"Caros irmãos Lumière,
A invenção de vocês foi muito importante para o homem e se não fossem vocês, outras pessoas não teriam criado os filmes coloridos, os efeitos especiais, o 3D etc. Essa sua antiga invenção foi evoluindo e agora faz parte das atividades livres de muitas pessoas."
Lia

"Irmaõs Lumière, vocês nem imaginam a maravilha que é o cinema hoje em dia. Se não fossem vocês nunca as pessoas iriam ver a beleza que é o cinema. Hoje em dia o cinema mudou muito, hoje não precisa tirar foto rapidamente, é só filmar e pronto. Sabia que existem filmes em 3D? Uma pena que vocês não estejam aqui para ver. Tchau!"
Artur

"Oi, irmãos Lumière!
Eu me chamo Tereza e sou do futuro e estou estudando o cinema e vocês estão erradíssimos em pensar que o cinema era uma invenção sem futuro! Sabe, se eu pudesse trazer vocês de volta eu os mostraria como o cinema se desenvolveu."
Tereza

"Eu adorei a invenção de vocês. Com o cinema nós conseguimos inventar vários tipos de filmes: terror, aventura, ação, comédia, suspense, documentário, policial, romance, animação e drama. O meu tipo de filme preferido é terror. Não sei como seria o mundo sem cinema."
Antonio

"Seu invento é muito importante e permitiu que a realidade se transformasse em fantasia por outros inventores! Tentem perceber que essa invenção é uma coisa grandiosa, todo mundo para ou parará para ver."
Marina V.

"Irmãos Lumière, O cinema é um meio de comunicação muito usado e muito bom porque ele permite que as pessoas mexam com sua imaginação e mostrem o seu lado fantasioso. É fantasia e diversão ao mesmo tempo. E o cinema também ajuda a gente a conhecer outras culturas."
Maria Luisa

Poesia e Chaplin

A turma, aos poucos, ampliou o seu repertório poético com a leitura de poemas de variados autores. Essas leituras motivaram as crianças a se aventurarem na difícil tarefa de ser poeta. Inspiradas, todas se arriscaram a escrever poemas a partir de algumas cenas de filmes de Charles Chaplin.

A Criança

Clara Villas Bôas
A criança sorri
Corre, canta
Gira

A criança
Tem esperança

Criança inventa
Cria
Faz mudança

Adulto já foi criança
Já fez lambança

A criança inventou
O giro, o riso
A dança e a esperança

O Mundo

Clara Atem
O mundo roda
roda, roda.

O mundo gira, gira.

Os planetas seguem
todo dia, dia a dia.

O sol brilha, brilha,
até a noite.

Depois a lua vem,
as estrelas também.

Para terminar,
esse é o sistema solar.

Lutas Engraçadas

Gabriel
A luta é uma caixa bruta
e um dia
um lutador
comeu uma truta
no meio da luta.

Teve uma vez
que um escocês
dançou lutando
com um japonês.

No fim do mundo
existe um planeta
onde lutadores
lutam com corneta.

Em lutas sérias
o fim é ruim.
Em lutas engraçadas
as pessoas saem com risadas.

O Ladrão

Guilherme Leal
O ladrão foi para a prisão
porque roubou outro ladrão.

O sonho dele era sair
porque não gostava dali.

Ele fugiu,
correu e se escondeu.

Foi para um bar
e bebeu...

Quando percebeu,
voltou para a prisão
porque lutou com um homem
por causa de um pão.

Ele não tem jeito não, era um bobão!

A Roda

Henrique
A roda
Pula corda
A roda
Roda rápido
A roda
Roda no lugar
Que ninguém pode imaginar
A roda, roda
Ninguém pode negar
A roda é útil
Para nos levar
Para cá e para lá
Bicicleta, trem, caminhão
Automóvel, velocípede, avião.

Engrenagens

Ian
Engrenagens são rodas
Rodas são círculos
Engrenagens rodam
Rodam e rodam
Até que um dia....param
Param por cansar
É preciso trocar
Outras engrenagens
Ocupam o lugar
E começam a trabalhar
A girar, girar, girar

O Cachorro

Rafaela
Um cachorro morava no morro
O morro desceu no contorno
Quando o cachorro estava descendo
Encontrou um amigo
Do amigo surgiu a amizade
Da amizade surgiu a paixão
Quando juntamos tudo
Transformamos
Em emoção

Invenção

Artur
O que seria desse mundo
sem as nossas invenções?

As invenções evoluem
fazem o mundo girar
inventam, inventam
inventam
não conseguem mais
parar.

Inventos necessários
e desnecessários,
nas cavernas
aos dias de hoje.

O homem inventa,
senta e não pára de pensar,
sempre tem mais
o que inventar.

O Amor

Maria Luisa
O amor é como uma flor
que nasce de uma semente.

Viva flor
cheia de cor
Que ilumina sua vida.

Preta e branca,
dos pés à cabeça.

Você fica apaixonado,
abobado,
sem rumo,
sem esquerda,
ou direita.

Só com o amor
e sua cor.

Futuro

Marina Terry
Não dá para saber o futuro
Ninguém sabe se o amanhã
Vai ser claro ou escuro

O Futuro pode ser
Séculos depois
Ou quando acabar o arroz

As bolas de cristal
Não falam a verdade

As cartas
Não têm qualidade

Não tenha certeza de nada
Amanhã podemos errar
O caminho da estrada

A Estrada

Guilherme Coutinho
A estrada que não acaba,
seu fim vai chegar...
no nada.

Não é um conto de fadas,
é uma estrada
não muito bem cuidada,
não muito aproveitada.

Por ela passam
só duas pessoas
que deviam ter coroas
por lá passar.

Sua paisagem,
uma passarela,
uma aquarela.

Que estrada!
Ela não pode chegar no nada...

Essa poesia
está chegando ao fim,
mas a estrada,
não terminaria assim.

O Leão

Antonio
Um leão violento
Não é lento.

Tem fome,
Sai comendo,
Sai correndo.

Ataca toda a gente
Que aparece
Na sua frente.

Mas leão treinado,
Acalmado,
Fica parado?

O que acha Carlitos
Muito desconfiado?

Amizade

Julia
Uma amizade
Sincera
De verdade
Não importa
A idade
Nem a localidade

Amigo homem
Amigo cachorro
Ou qualquer outro animal
Com um amigo
Nada fica igual
A vida fica boa
E você não fica nunca
Sentado à toa!

Flores

Lia
As flores
Na natureza nascem
E encantam
Com proesa

Amarelas, azuis,
Vermelhas
Quanta beleza!

No escuro ou na luz
As flores
Na natureza
Quando arrancadas
Quanta tristeza!

A cada semente
Plantada
Uma beleza
No futuro
Será admirada

Uma Luta Engraçada

Vicente
Uma luva
Em cada mão
Soco na cara
Cara quebrada
Uma rebolada
Um ri do outro
Um pede socorro

Uma luva
Em cada mão
Soco na cara
Cara quebrada
Uma rebolada
Que luta
Engraçada!

As Máquinas

Gabriel José
As máquinas não falam
As máquinas não se expressam
As máquinas não se movem
Só se movem para fabricar
Fabricar e fabricar...

Quando elas fabricam
Elas inventam
Quando elas inventam
Elas melhoram o mundo
E a gente vive melhor.

Rosas

Tereza
As rosas são muito formosas
E também muito cheirosas
As rosas têm muitas cores
E não são só rosa

As rosas são lindas
Lindas são as rosas
A rosa é o símbolo do amor
A rosa é uma flor
Diferente de todas
É única como o amor!

Planetas

Paulo
Um planeta perfeito
Onde tem perigo no fundo

Mas se estamos apenas no começo
Quem não gostaria de ser dono do mundo?

Falando sobre isso
Quem não gostaria de ter o mundo, então?

E o que pensa Carlitos
Com o mundo em sua mão?

Ele pensa em ser um ditador
Mas não gosta disso não

Também pensa no futuro
E que mudança no mundo todos farão?

Todos têm que pensar correto
Para fazer o mundo um lugar melhor

E se pensarem mal
Nada poderá dar certo

O Amor

Maria Isabel
O amor é uma flor!
Te amo!
Te dou cor!
Só tenho olhos
Para você, meu amor!

Amo alguém
Amo o homem
Amo a mulher
Sem preconceito
Com ninguém

Amo o laranja
Amo o vermelho
Amo o marinho
Amo o palhaço

O amor é lindo!
Lindo de se ver!
Lindo de se ter!

Se você ama alguém, fale!
Não é hora de se calar
Não deixe a vergonha estragar

O amor faz parte da vida
Da volta e da ida!

O Artista e a Felicidade

Marina Vilela
O artista tenta
Ele se apresenta
Sua peça é de amor
Ele põe na boca uma flor

Sai do palco de cabeça erguida
Com a missão cumprida
Quando fracassa fica deprimido
Com sua determinação continua unido

Sua vida é cheia de cor
Como uma flor
A felicidade está no artista
Com suas peças
Que fazem chorar
Como cebola para cozinhar

Para ele tudo é especial
Brilhante como metal
Brilhante é o artista
Talentoso e teatral

Sua vida é assim
Com felicidade no inicio, meio e fim

Ranranho

Miguel
Era uma vez
Um homem estranho
Que se chamava Ranranho

Ele comia sapato
E de sobremesa
O próprio prato

Ranranho era desajeitado
Mal conseguia ficar deitado

Coitado de Ranranho
Não sabia nem o que era banho

Ranranho quando tenta
Amarrar o sapato
Faz do cadarço
Um grande embaraço

Todos evitam Ranranho
O homem estranho
que comia sapato

Engenhoca

Nina
Sempre que vejo, daqui, a engenhoca do Seu Cangotas
Me dá uma vontade louca de comer tapiocas
Não sei se é porque ela cheira à mandioca
Ou se é pela cor,que lembra a paçoca.

Mas do jeito que Seu Cangotas troca e destroca
Cada peça da sua engenhoca
Penso que um dia desses
Todos descobrem a lorota:

Essa engenhoca
Não passa de uma máquina de fazer pipocas!

Mostra e Cinema

Foi intensa para as crianças a preparação das atividades para a Mostra de Artes e o resultado deixou todos muito felizes.
Como fazer uma novela sem imagem?
Como fazer a fotografia ganhar movimento?
Como fazer poemas inspirados por um personagem das telas do cinema?
Toda as respostas para essas perguntas estiveram em nossa Mostra Artes.

Veja a avaliação da Mostra de algumas crianças.

" Eu achei muito legal fazer a nossa Mostra de Artes! Nós trabalhamos bem em grupo e conseguimos um resultado muito bom.
Fiquei super animada para mostrar nossos trabalhos para os pais! Me esforcei para que todos adorassem nossas apresentações, vídeos e músicas.
Fizemos um bom trabalho em grupo, ajudando uns aos outros e respeitando a todos.
No final das contas, o resultado foi ótimo. Na radionovela, prestamos muita atenção no texto. Sempre ligada na minha hora de entrar, eu consegui fazer tudo na hora certa.
No começo, eu tive um pouco de dificuldade com a fala, mas eu me esforcei bastante para dar o melhor de mim.
Nos vídeos de dança, eu prestei muita atenção no que a Roberta falava e mesmo no vídeo que eu não fazia, eu não conversei para não atrapalhar os meus amigos e amigas.
No coral, eu cantei olhando toda hora para a Maíra, mas mesmo prestando atenção eu errei umas partes da música.
Eu amei essa mostra de artes."
Lia


" A Mostra de Artes foi bem legal, principalmente o teatro porque a gente fez personagens bem engraçados e divertidos. A flauta também ficou muito boa na hora da sonopastia e os comerciais foram ótimos.
O coral também foi excelente e com a ajuda de todos alcançamos o objetivo, por isso pediram bis. Então, ano que vem é provável apresentarmos o mesmo desempenho.
Já na aula de dança, nós filmamos as danças que se chamavam Fame, Grease, Gene Kelly e Charles Chaplin, dança dos pãezinhos. Eu gostei mais dessa dança porque Chaplin fazia movimentos bem divertidos naquela época.
Em artes, eu adorei fazer os movimentos inspirados no Muybride, que era capturar todos os movimentos que alguma pessoa fazia.
Em Projeto, fizemos excelentes pesquisas de inventores que mudaram a história...Também estudamos sobre o Charles Chaplin. Vimos Tempos Modernos, O garoto e Vida de Cachorro. Fizemos poesias inspiradas em Chaplin. A minha era "Engrenagens"..."
Ian

Leituras que Encantam

As crianças trouxeram para compartilhar com os amigos, numa roda de leitura na Biblioteca, os livros que estavam lendo em casa. Com essa atividade, procuramos valorizar suas escolhas e conhecer novas histórias, autores e diferentes gêneros literários.
Depois, produziram fichas com comentários sobre esses livros. Assim, quem quiser conhecer novidades, poderá consultar este material na Biblioteca.

Antigas Invenções

No meio de tantas discussões, as crianças trouxeram para as escola máquinas de escrever, ferro à brasa, gravadores, fitas cassete e rádios de madeira. Experimentar todas essas antigas invenções foi bastante interessante.

Leituras

Nossas leituras nos divertiram bastante durante o semestre. Enquanto descobríamos "Como fazíamos sem" cinema, televisão, computador etc., o livro "É tudo invenção" brincava com as palavras, transformando em poesia as invenções do abraço, da dança, do urso de pelúcia e muito mais.
"Como fazíamos sem" nos ajudou a descobrir curiosidades, que enriqueceram o projeto, e a fazer relações entre as invenções mais antigas e as de hoje. A leitura ainda não se esgotou e, no próximo semestre, continuaremos aprendendo e pensando como as pessoas viviam sem toda essa tecnologia que conhecemos atualmente.

O Estudo da Língua

Cuidamos da nossa Língua, elaborando diferentes produções textuais. Diversas situações de escrita e leitura favoreceram muitas descobertas sobre essa área do conhecimento. As crianças foram experimentando variadas formas de escrever e, pouco a pouco, vem se apropriando das diferentes estruturas textuais. Identificar e utilizar os discursos direto e indireto foram práticas frequentes em nossas propostas. Dessa forma, a serviço do texto, fomos descobrindo e discutindo questões relacionadas a nossa gramática.

Discursos

Depois de conversar e pesquisar sobre a Rio +20 e de ouvir o famoso discurso do filme "O Grande Ditador", de Charles Chaplin, as crianças pensaram em diferentes assuntos, fizeram algumas reflexões e escreveram seus discursos, deixando suas mensagens para o mundo. Vejam algumas dessas mensagens:

"Eu gostaria de falar sobre a desigualdade e o meu discurso seria assim:
- A pior parte da desigualdade é a que afeta as crianças. É muito injusto crianças que moram em casas sem recursos ou até na rua. Para se resolver esse problema o governo deveria ajudar os pais das crianças a arrumarem trabalho e investir mais nas escolas públicas. Assim, as escolas e as famílias dariam chance das crianças melhorarem de vida."
Clara V.B.

"O assunto seria o mundo. O meu discurso seria assim:
- Hoje as pessoas não se importam com o mundo. Hoje as pessoas só querem dinheiro. E quando o planeta ficar sem nada saudável, todos perceberão que dinheiro não faz milagre. Então, se lutarmos por um mundo melhor, tudo continuará bem e nada de ruim irá acontecer. Por isso, vamos defender o mundo."
Gabriel T.

"Eu gostaria de falar sobre o excesso de consumo. Em vez de consumir novos objetos, podíamos reutilizá-los. Quando consumimos sem limites, nós poluímos o planeta. Às vezes, compramos coisas desnecessárias, quando tem pessoas que precisam e não têm dinheiro. Vamos consumir com consciência."
Guilherme C.

Arraiá

Foi muito animada a despedida do semestre! Nas últimas semanas, conhecemos um pouco da história da quadrilha, do forró, do xote, das comidinhas e outras tradições dessa época do ano.
No nosso arraiá vivenciamos os festejos juninos com muitos ritmos, danças, roupas e alegria.

Finalizando o Semestre

Leituras, poesias e filmes fizeram parte do nosso primeiro semestre. Voltar no tempo e conhecer antigos objetos, a história do cinema e os primeiros filmes ajudaram nas descobertas e aprendizagens do grupo. Muitas discussões e reflexões nos fizeram pensar na importância da imaginação, da criação e da invenção para inovar e transformar. Agora, faremos uma pausa para as férias e retomaremos em agosto com nossos estudos sobre o cinema.

Matemática

Nossas Aulas

O trabalho de Matemática, no quarto ano, faz com que as crianças lancem mão dos recursos que já possuem, para que produzam seu próprio conhecimento, através de situações didáticas escolhidas para favorecer, estimular e organizar os novos conteúdos a serem aprendidos.
Começamos retomando as estratégias pessoais de cálculos e o algoritmo da adição e da subtração, ampliando o campo numérico. Atividades para ler, escrever, comparar, ordenar, compor e decompor os "números grandes" foram importantes para discutir e descobrir regras sobre o nosso sistema de numeração decimal, apresentando e sistematizando os conceitos de valor relativo e absoluto.

Em nossas aulas, os conteúdos são apresentados com cuidado, valorizando cada etapa, cada pergunta e cada resposta. As aulas transcorrem com muitas conversas e debates. Proporcionamos esses momentos para que os alunos defendam seus pontos de vista, questionem os dos outros, apresentem hipóteses e suas estratégias pessoais em diferentes situações. Errar ou acertar têm a mesma importância e são valorizados no grupo. "O que me fez acertar? Onde errei? Por que eu errei?" são questões sempre levantadas e importante de serem respondidas pelas crianças.

Resolvendo Problemas

Ler, interpretar, resolver e criar problemas, continua sendo de grande importância para o trabalho de Matemática do quarto ano. Favorece a construção de novas aprendizagens e permite o emprego de conhecimentos já construídos. Procuramos oferecer, durante as aulas, dinâmicas diferentes de resolução e discussão, a fim de que todos pudessem compartilhar seus saberes e suas estratégias pessoais com diferentes pares. Muitas vezes, nesses momentos surgem importantes reflexões e procedimentos que são validados por todo o grupo.

O Jogo do Caracol

Na aula de Matemática, as crianças aprenderam o Jogo do Caracol, que dispara a prática da multiplicação e o trabalho com diferentes ordens de grandeza, ganhando ainda uma maior agilidade no cálculo mental. Todas se divertiram e exercitaram suas habilidades de calcular. Foi uma farra só! As regras do jogo foram registradas no caderno. Quem ainda não jogou, deve jogar!
Aqui está o que o Guilherme Coutinho comentou:



"Eu gostei! Foi divertido e usamos a multiplicação e outros conhecimentos de Matemática para poder jogar."

Números Grandes

As crianças se aventuraram no universo numérico criando intimidade com os "números grandes". Estudaram suas classes e ordens e os escreveram por extenso. Também realizaram decomposições e composições numéricas. E ainda desvendaram enigmas matemáticos com o uso do Quadro Valor de Lugar. Essas atividades ampliaram os conhecimentos que já possuíam sobre o nosso sistema de numeração.

Problemas e Mais Problemas

As aulas de Matemática estiveram repletas de problemas para serem resolvidos usando cálculos com as quatro operações. A adição e a subtração já eram nossas velhas conhecidas e resolvidas com o recurso do algorítimo. Já para multiplicar e dividir, o desafio foi usar estratégias cada vez mais econômicas, lançando mão de somas sucessivas e decomposições. Todo esse procedimento foi uma cuidadosa preparação para a apresentação do algorítimo da multiplicação.

A Multiplicação

A grande novidade e destaque no semestre, foi sem dúvida a sistematização da multiplicação com o aprendizado do algoritmo e a apresentação da tabuada. Iniciamos esse estudo com atividades que trataram da configuração retangular, da adição de parcelas iguais e combinação, ideias características dessa operação.

Construindo Muros

Todos foram desafiados a construir "muros" usando a malha quadriculada do caderno. Para isso foi fundamental entender o que são linha e coluna para depois escrever a multiplicação correspondente para cada "muro". Foi apresentado também o algoritmo da multiplicação e, aos poucos, as crianças foram se apropriando de mais esse recurso para solucionar diferentes problemas.

A Tabuada

Depois de vivenciarmos várias formas de pensar a multiplicação, chegou a vez de trabalhar com a tabuada. As crianças foram desafiadas a descobrir as regularidades presentes nas operações e em seus resultados. Dessa maneira, estamos criando estratégias de memorização. Enquanto a tabuada não está na ponta da língua, vale consultá-la, o que ajuda no aprendizado desta técnica operatória, principalmente neste momento em que estamos conhecendo os procedimentos da multiplicação por dois algarismos.

Batalha da Multiplicação

Inglês

Come on, let's Play!

Neste ano as crianças formalizam alguns conteúdos já conhecidos, que ganham um novo status. O primeiro a ser reconhecido foi o noun (substantivo). Ao nomear os objetos na charge do Andy Singer, eles rapidamente reconheceram os substantivos e junto com esse grupo enorme de palavras vieram também os articles (artigos).
Na sala de informática brincamos com dois jogos virtuais bem bacanas. E, através destes jogos, eles perceberam que na Língua Inglesa também existem os substantivos comuns ou próprios e que para colocar as palavras no plural nem sempre basta colocar "s".
Come on, let's play!
www.harcourtschool.com/activity/basketball/index.html

Dictionary

Uma das novidades nas aulas de inglês é o dicionário. O uso se torna frequente tanto para consultas, quanto para atividades mais dirigidas. Nas últimas aulas as crianças começaram a construir um banco de adjetivos que ajuda a ampliar o vocabulário e enriquecer a escrita.

The rules of regular and irregular plurals

Trabalhar com os substantivos no plural não é novidade para essa galera esperta. Mas esse ano nós precisávamos dar um passo maior e, além de revisarmos palavras que fazem o plural da maneira mais simples( adicionando S), fomos conhecer as regras que nos ajudam a trabalhar com as formas irregulares. Não foi difícil perceber que seria necessário memorizar esse conteúdo, mas uma ferramenta bem divertida auxiliou esse processo: TIC TAC TOE Game. Do you wanna have fun and learn at the same time?

More adjectives

Para incrementar a nossa produção textual, objetivo dessa etapa do aprendizado, trabalhamos muito com os adjetivos. Reconhecer um adjetivo no texto, saber procurar novos no dicionário e colocá-los corretamente nas frases foram tarefas que predominaram neste primeiro semestre. Construímos no caderno um banco de adjetivos procurando dar mais opções para as crianças, tentando fugir dos “beautiful” e “nice”que sempre aparecem nas frases.

Movies, a super invention!

O assunto tomou conta das aulas e nos ajudou a perceber mais uma utilização para os adjetivos: classificar os diferentes tipos de filmes que existem. E assim que começamos nossas conversas sobre “The Silent Movies”. Mas por que o cinema mudo? E o inglês? As frases que aparecem entre as cenas, os cartões, foram o objeto do nosso estudo e pesquisa. Qual é o objetivo destas frases? São todas falas ou tem texto também? Elas devem ser curtas ou podem se alongar contando uma parte da história? Assistimos ao filme “Modern Times”, do grande Charles Chaplin, procurando observar cada “intertitle” que surgia, anotando uns importantes e nos apropriando dessa linguagem objetiva e direta.
Finalizamos o semestre com um texto coletivo construído com a ajuda dos créditos que apresentam a obra.

Artes Visuais

Criando um personagem

As imagens que utilizamos para compor a sinalização da escola, em 2012, buscaram homenagear alguns criadores que, através da literatura, do cinema, das artes visuais e da música, inventaram personagens que povoam nosso imaginário e parecem presentes em nossas vidas como fantasias cristalizadas.
Desejávamos que o sentimento de afeto e responsabilidade, característico dessa relação, pudesse inspirar nossas realizações ao longo do ano.
Essa oportunidade de apreciação motivou nossos alunos a criarem personagens com características específicas. Ao terminarmos o trabalho de composição de personagens, demos vida a eles criando quadrinhos e flips.

Buscando novos caminhos

Em seguida, buscamos um diálogo com as pesquisas realizadas nas aulas de Projeto. Abraçamos o estudo dos diferentes enquadramentos e planos utilizados na fotografia e no cinema e iniciamos uma pesquisa sobre o trabalho do fotógrafo Muybridge.

Antes do Cinema

A pesquisa sobre Muybridge nos levou ao estudo dos movimentos do nosso cotidiano. Com uma câmera bem rápida, fotografaram e construíram painéis que lhes possibilitaram visualizar e entender as etapas daqueles movimentos.

Teatro

Como fazíamos sem?

Muitas grandes invenções fazem parte do nosso dia a dia e não conseguimos pensar como seria a vida sem elas. As crianças pararam para imaginar como era a vida antes da criação do telefone, do avião, do correio, do vaso sanitário, etc... Essas conversas foram experienciadas nas aulas. As crianças usaram a criatividade e criaram cenas que mostravam a vida antes desses grandes inventos.

Radionovela

As radionovelas, que reuniam as famílias em volta dos rádios em meados do século XX, encantaram as crianças. Os alunos, com ajuda de objetos sonoros, criaram suas próprias novelas, com direito a intervalos comerciais e cenas do próximo capítulo.

Maria Eugênia, a Gata Borralheira

Os alunos surpreenderam seus pais e amigos na Mostra de Artes com a apresentação da radionovela "Maria Eugênia, a Gata Borralheira". As vozes criadas pelos alunos/atores deram vida aos personagens. A sonoplastia e as trilhas sonoras da novela e dos comerciais também foram criadas e executadas pelas crianças. Foi um trabalho intenso realizado nas aulas de Teatro e Música e o resultado deixou todos muito satisfeitos e felizes.

Fotonovela

Depois da rádio fomos para fotonovela. Histórias contadas por imagens congeladas que encantavam as famílias, que não perdiam nenhuma edição das revistas. Usamos a mesma história da nossa radionovela, "Maria Eugênia, a Gata Borralheira" e montamos fotos dos momentos mais significativos da trama.

Dança

Dança e Carnaval

Iniciamos o ano conversando sobre as regras de convivência e nos apresentando. Ouvimos e dançamos livremente o samba da escola nos preparando para o Bloco da Sá Pereira.

Dançando com Materiais

Em seguida, exploramos os diferentes materias do Salão aperfeiçoando nossas habilidades motoras. Utilizamos as pranchas de equilibrio, bambolês, tecidos, etc.

Personagens em Movimento

Dialogando com o projeto institucional, escolhemos quatro personagens das placas de identificação das salas da escola: Pantera Cor de Rosa, Darth Vader, James Bond e Emília. Vimos vídeos e conversamos sobre a movimentação de cada um deles. Depois, criamos pequenas sequências coreográficas atentos à qualidade do movimento que os caracteriza.

História da Dança

A poesia "Quem inventou a dança?" do livro adotado "É tudo invenção", de Ricardo Silvestrin, foi nosso ponto de partida para conhecermos três momentos significativos da história da Dança. Conhecemos um pouco sobre a Dança Primitiva e os registros nas pinturas rupestres. Em seguida, pesquisamos sobre o Balé Clássico. Lemos a sua história, assistimos a vídeos e experimentamos as posições de pés, braços e alguns saltos vigorosos mostrados por Mikhail Baryshnikov. Para encerrar, conhecemos sobre a Dança Moderna através da sua percurssora, Isadora Duncan.

A Dança no Cinema

Buscando entender a participação da dança no cinema, as crianças assistiram a musicais de diferentes épocas: de "All the Jazz" a "Chicago". Passamos pelas figuras geométricas de Busby Berkley, pelo sapateado de Fred Astaire e Gene Kelly, pela coreografia inusitada de Twyla Tharp em Hair, entre outras cenas. Depois de tanto tempo dedicado à apreciação, trouxemos para o corpo o que havíamos aprendido. Para isso, escolhemos quatro cenas dos filmes: "Em busca do Ouro", "Casa, Comida e Carinho", "Grease - Nos Tempos da Brilhantina" e "Fama" para uma montagem que misturava cenas produzidas com nossas crianças. Estudamos a movimentação dos atores e escolhemos os passos que iríamos reproduzir. Ensaiamos, discutimos o figurino de cada cena e realizamos as filmagens. O resultado foi apreciado por todos na Mostra de Artes.

Festa Junina

Para encerrar o semestre conversamos sobre a Festa Junina, conhecemos e experimentamos alguns movimentos da Quadrilha.

Música

Carnaval

Nas semanas que antecederam ao Carnaval, além de cantar o samba do bloco da escola, as crianças conheceram um pouco melhor os instrumentos que compõe uma bateria de Escola de Samba. Montamos uma rápida prática de conjunto com frases rítmicas simplificadas dos instrumentos, utilizando "O Passo".

Composições

Após o Carnaval, as crianças começaram a se aproximar do tema do Projeto através do viés da composição. Assim, começaram a compor pequenas melodias na flauta que foram sendo agrupadas, formando composições maiores. Organizados nos pequenos grupos, as crianças ensaiaram e foram aprimorando suas composições. Durante esse processo foi necessário exercitar bastante a escuta e o companheirismo, para ensaiar e tomar decisões. Aos poucos, foram sendo criadas outras melodias que serviram de acompanhamento para as melodias principais.

Maria Eugênia, a Gata Borralheira

Algumas das composições feitas pelas crianças foram incorporadas a trilha sonora da radionovela "Maria Eugênia, a Gata Borralheira", montada nas aulas de Teatro. Cuidamos, então, em nossas aulas, da preparação dessa trilha sonora e do trabalho com a sonoplastia. O resultado de tanta pesquisa e estudo foi apresentado e apreciado por todos em nossa Mostra de Artes.

Festa Junina

Terminamos o semestre conversando sobre a música na Festa Junina. Vendo e ouvindo diversas gravações, as crianças conheceram melhor alguns ritmos nordestinos muito tocados nas festas de São João: o xote, o baião e a quadrilha, bem como seus instrumentos típicos. Encerramos as “aulas juninas” tocando xote com instrumentos de percussão.

Coral

Pout Pourri da Sá Pereira

Depois dos encontros para as classificações vocais das crianças, começamos a trabalhar com um "pout pourri" de algumas das músicas que participaram do concurso de sambas da Sá Pereira.

Força da imaginação

Depois de finalizar o arranjo do "pout pourri" de composições dos pais da Sá Pereira, assistimos à gravação ao vivo da música "Força da Imaginação", de Caetano Veloso e Dona Ivone Lara, que foi nosso próximo arranjo. Indicamos o link para que todos conheçam a música: http://www.youtube.com/watch?v=h8MF37rogi0
http://www.youtube.com/watch?v=h8MF37rogi0

O Coral na Mostra

Na Mostra de Artes apresentamos o repertório que trabalhamos desde o início do ano. Cantamos "Nosso lindo balão azul", música de Guilherme Arantes, e o pout pourri de sambas e marchinhas compostos pelos pais da Sá Pereira.
Em nosso primeiro ensaio após a Mostra assistimos às apresentações e realizamos uma avaliação de nosso trabalho. Vimos também trechos de DVDs de artistas e grupos que podem nos servir como inspiração.

Lista dos vídeos assistidos, a pedido das crianças:
Grupo Barbatuques
Coro São Vicente a Cappella Grupo Vocal Mulheres de Holanda Bobby McFerrin

Ensaio aberto

Para finalizar o semestre convidamos todas as turmas do Fundamental I para assistirem a um ensaio aberto do Coral. Apresentamos todo o repertório construído, inclusive com algumas estreias: o arranjo de "Força da Imaginação", música de Caetano Veloso e Dona Ivone Lara, e "Queremos saber", de Gilberto Gil, arranjo que acabamos de aprender.
No retorno das férias, teremos mais novidades!

Ed.Fisica

Tardes no Pereirão

Durante os primeiro recreios deste semestre as crianças foram divididas em grupos e convidadas a pensar e elaborar diferentes planejamentos para as aulas. Dessa forma, aproximaram-se mais das atividades e foi possível perceber e atender suas preferências esportivas.

Olha, Olha a Bola!

Um dos materiais mais usados pelas crianças no Pereirão é a famosa "redonda", nossa velha conhecida, a bola. Mas quem será que a inventou? Que tipos de bolas as crianças conhecem? As perguntas foram lançadas e as pesquisas começaram a surgir.

"Comigo não tá!"

As crianças exploraram o espaço e exercitaram o cuidado e a atenção ao se deslocarem nos diferentes piques no Pereirão.

Trocando as Bolas

Depois de pesquisar sobre a invenção e os diferentes tipos de bolas, as crianças realizaram, no Pereirão, estafetas com diversas delas percebendo seus tamanhos, pesos, dificuldades e facilidades de manuseio.

Planejando no Pereirão

Divididas em grupos, as crianças planejaram algumas atividades com bolas. Para essa tarefa foram desafiadas a pensar no material necessário e na adequação da atividade para cada turma.

Tribo

O que é a Tribo?

O ano começou com a alegria do reencontro, com as crianças animadas pelo embalo do carnaval, cheias de expectativas, e curiosidades em relação as novidades para 2012. Quem era novo precisou se apresentar e quem já era da escola contou sobre como acontecem esses encontros semanais, onde cada um exercita a sua cidadania.

Todos os dias nossas crianças fazem coisas espontaneamente que estão relacionadas a esse exercício, porém sem essa consciência. Praticam seus deveres e direitos, buscam ser solidários, generosos, responsáveis e participam da vida coletiva tentando colaborar.

Mas, também sabemos que são as especificidades de cada grupo e de cada momento que direcionam o trabalho da Tribo. A disciplina, as regras do futebol e das brincadeiras, de sala de aula, a postura de estudante, as avaliações e auto-avaliações, o respeito ao outro, foram alguns dos assuntos desenvolvidos.

Desejos e mais Desejos.

É preciso desejar e pensando nisso, buscamos, em um clima caloroso, dar início as nossas reflexões sobre o que gostaríamos de conquistar neste novo ano. Então, propuzemos às crianças registrarem em papéis seus desejos e suas intenções de estudante, que foram guardados em uma caixa que só será aberta na última Tribo do ano, quando juntos irão rever, confirmar ou não o que cada um foi capaz de realizar neste ano.

Meditação

Iniciamos todas as tribos com uma meditação, momento esperado e muito apreciado pela maior parte das crianças. De olhos fechados, procurando no silêncio relaxar o corpo e os pensamentos, as crianças buscam o autocontrole, imagens, respiram e se revigoram. Hoje, mais amadurecidos tiram maior proveito dessa experiência em várias situações.

Regras de Convivência e Outros Assuntos

Relembramos as regras de convivência que fazem parte da proposta pedagógica da escola através de várias dinâmicas. Conversamos sobre elas e ainda sobre outros tantos assuntos. Alguns diziam respeito as relações, tema sempre recorrente nessa idade. Não foi raro precisar ajudar essa meninada a resolver conflitos, escutar no grupo diferentes opiniões, fazer acordos e escolhas e encontrar soluções para as questões postas.
Durante esse tempo de convívio, percebemos que todos se esforçaram dentro de suas possibilidades e maturidade.

Rio + 20

Este foi um assunto que muito mobilizou as crianças. A Revista Ciência Hoje Das Crianças, nos proporcionou a leitura de uma reportagem especial para a ocasião:" Rio + 20, Dicas Para Salvar O Planeta e a reflexão sobre diversas questões tratadas na nova conferência". Além disso, sugeria alguns caminhos para que todos participassem através de pequenas, mas importantes, ações cotidianas ou através da visita em alguns sites indicados. Parece ter ficado claro para as crianças que existem desequilíbrios na natureza e que a Terra vem sofrendo com a poluição do ar, a devastação de áreas verdes, a contaminação das águas, entre outras tantas ações humanas.

Apresentações e Festas Pedagógicas

Conversamos sobre a contribuição, a responsabilidade, o empenho e o esforço de cada um no grupo para a montagem de uma apresentação. Também comentamos sobre o resultado final conquistado e verificamos que o processo pode ser, para alguns, um pouco cansativo, para outros, difícil, mas foi unânime a fala de que valeu a pena e que esses são momentos importantes, divertidos e prazerosos.

Semestre que vem estaremos juntos outra vez. Novas demandas e aprendizagens estão por vir.