A Casa


Mais uma vez o desafio de buscar o tema para o Projeto Institucional de nossa escola. Analisamos as sugestões enviadas pelas famílias, conversamos sobre as abordagens possíveis, nas últimas reuniões de pais e de planejamento de professores, pensando sobre o que seria mais adequado, hoje, como foco das pesquisas e estudos para o próximo ano. Algumas propostas apontavam para a necessidade de transformação de nossas atitudes, na busca de uma ação mais participativa e comprometida com o espaço coletivo e com as relações em que cada um de nós está inserido.

Escolhemos A Casa como tema por acreditarmos que poderá acolher grande parte das sugestões que apareceram em nossas discussões. Trataremos A Casa como categoria dinâmica e simbólica que poderá ser abordada de diferentes maneiras, significados e dimensões.

Desde A Casa como nosso corpo, nosso lar, até A Casa como planeta, biosfera que nos acolhe, não só à humanidade, mas a todos os seres que já viveram, que vivem e que viverão, num futuro que é nossa responsabilidade preservar como possível.

Tudo nos inspira, nos convida, mas o que iremos privilegiar é a idéia dA Casa como construção erguida tendo as relações sociais como alicerce. A Casa entendida não a- penas como um espaço físico, mas como uma esfera de ação social, de posicionamentos éticos, de expressões culturais, de divisão de trabalho. Espaço, não somente de direitos, mas de deveres com os outros que o compartilham conosco. Utilizando uma lógica que permita englobar os elementos de nosso contexto social a um todo significativo, o corpo, o lar, a rua, a cidade, o país, a nação, o continente, o planeta, poderão ser contextos privilegiados na pesquisa sobre as diferentes “casas” que podemos habitar. Vamos escutar, atentamente, os interesses de nossas crianças para escolhermos, juntos, o caminho de cada turma. Está lançada a idéia. Agora é ouvir o que elas têm a dizer, procurar caminhos para que se sintam motivadas, curiosas e desejosas de crescer nessa aprendizagem.