Relatório de Grupo do Segundo Semestre de 2010

Turma do Bonde

Projeto

De volta

Retornamos das férias com a mesma alegria de sempre. As crianças contaram as novidades do período e ouviram as dos amigos. Para matar a saudade, dedicamos a semana às brincadeiras preferidas da turma. Pouco a pouco, foram se envolvendo com as discussões sobre o nosso novo estudo.

O Bonde da Natureza

Antes das férias havíamos sondado as crianças sobre o que gostariam de estudar no segundo semestre. As sugestões giraram em torno do tema Natureza.
Não esperávamos que os pequenos fossem se envolver tanto com o assunto a ponto de nos lembrar, já no segundo dia de aula, o que tínhamos conversado em nossas rodinhas. O interesse se traduziu bem com a pergunta de Francisco Liberal: "A gente ainda está estudando sobre a África? Eu quero começar logo a estudar a Natureza!"

O Que é a Natureza?

Vejam as repostas das crianças da Turma do Bonde a esta pergunta:

"É a casa dos bichos, a casa dos animais. O lugar onde os bichos moram."
Sofia Castro
"Plantas, florestas ou bichos."
Nino
"Lugar dos insetos. A natureza é a floresta."
Alice
"Árvores, pessoas, frutas e muitas coisas."
Francisco G.
"Plantas, flores, semente, terra."
Guilherme
"Rios, grama, cachoeira."
Sofia N.

O Que Será Que Tem Aqui?

Estimulando a curiosidade das crianças, fizemos um jogo de adivinha, escondendo a inflorescência seca de uma das palmeiras do Largo dos Leões. A partir dessa exploração, e sob os olhares atentos e comentários dos pequenos, pudemos conversar sobre as árvores e muitas de suas partes.

Visita no Bonde

Recebemos a visita da Adriana, mãe de Miguel Galvão, que veio contar sobre sua viagem ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Ela nos falou sobre o tipo de vegetação, alguns animais encontrados por lá e salientou a importância do cuidado para a preservação do Parque. Também trouxe folhas, sementes e flores bem diferentes, específicas daquela região. Os pequenos observaram o material e conversaram sobre as histórias contadas.

Experiência Colorida

Iniciamos uma experiência para tentar entender como é que as plantas retiram água e nutrientes do solo para crescer e se desenvolver. Na prática, a experiência consistiu em observar uma rosa branca tornar-se azul depois de passar algum tempo com o caule mergulhado em um copo com água e corante. A atividade gerou muita curiosidade e possibilitou o levantamento de várias hipóteses interessantes.

Bonde para o Aterro

Em nossas rodas de conversa listamos alguns parques e jardins da cidade. Descobrimos que poucas crianças conheciam o Parque do Flamengo. Resolvemos, então, iniciar uma pesquisa com o objetivo de conhecer um pouco mais sobre esse enorme parque urbano.

Projetos do Bonde

Depois de conhecer o Aterro, as crianças pesquisaram sobre a vida de Roberto Burle Marx, que projetou os jardins do parque. Em grupos, realizaram um grande desafio desenhando pequenos projetos para a criação de seus próprios parques. O trabalho foi realizado em várias etapas que exigiram muito empenho da meninada.

Novos desafios

A Turma, animada, começou os ensaios para a festa de final de ano. Nas aulas de Expressão Corporal e Música, as crianças experimentaram novos movimentos e passos de dança e conheceram todas as músicas que fizeram parte da festa. Os pequenos se empenharam muito diante do novo desafio!

Você Já Foi à Bahia?

A Turma do Bonde concluiu os trabalhos inspirados nos projetos de Burle Marx e encontrou um tempinho para ir à Bahia e conhecer uma das cidades que fizeram parte do roteiro da festa de encerramento.
Além dos pontos turísticos mais conhecidos de Salvador, vimos um pouco da poesia de quem tão bem representa aquela terra: Dorival Caymmi.

Matemática

Novos Jogos

A Turma se empenhou com novos desafios no segundo semestre. Aprenderam a jogar Dama, Xadrez, Ludo e alguns jogos de baralho. Difícil? Não para as crianças!
Frequentemente solicitavam a parceria dos amigos e professores para atividades como essa. Muitos se apropriaram das regras e participaram de partidas emocionantes. Era comum as observarmos fazendo contagem, comparações de quantidade e algumas relações numéricas. Todo esse envolvimento permitiu que a turma se aproximasse gradativamente da construção e do funcionamento de nosso sistema de numeração.

Passeios

Pesquisa no Parque Lage

“A Turma do Bonde foi ao Parque Lage observar os diferentes tipos de árvores e outras coisas que também fazem parte da natureza.
Como pesquisadores, nos dividimos em grupos para ver melhor o lugar e cada criança fotografou alguma coisa especial.
Vimos formiga de fogo, colméia, cogumelos, peixes, macaquinhos, a lua e muitas árvores.
No final, a turma toda se encontrou no parquinho para brincar e fazer um piquenique. O passeio foi magnífico!”

Texto coletivo

Bonde e Paisagem na Lagoa

As turmas do Bonde e da Paisagem fizeram um passeio à Lagoa Rodrigo de Freitas para comemorar o Dia da Árvore e a chegada da primavera. As crianças participaram de uma roda de bate-papo sobre a importância dos cuidados com o meio ambiente, fizeram trabalhos com o pessoal da Recicloteca e observaram a simulação do processo de uma estação de tratamento de água.
Para completar a tarde, produtiva e agradável, as turmas fizeram um piquenique e brincaram, aproveitando o espaço.

No Aterro

"Nós, da Turma do Bonde, estamos estudando sobre o Aterro do Flamengo e fomos fazer um passeio para conhecer esse lugar.
Descobrimos que o parque se chama Brigadeiro Eduardo Gomes. Lá, vimos a Baía de Guanabara e muitas árvores. Tinha Palmeira do Amor, Abricó de Macaco, Figueira e Amendoeira.
Foi Burle Marx que projetou o jardim do Aterro. Lá, tem um monte de árvores iguais, na mesma direção. A paisagem é muito bonita. Vimos, também, uma garça que chegou pertinho da gente. Também olhamos o Rio Carioca, que chega todo sujo e depois é limpo com uma máquina antes de ir para o mar.”
Esse passeio foi lindo!"

Texto coletivo

Visita à Feira Moderna

Fomos visitar as crianças da Pereirona para conhecer seus estandes da Feira Moderna. Qual não foi a surpresa e o orgulho dos nossos pequenos quando perceberam que as turmas do terceiro ano estudaram, também, sobre as árvores da cidade e sobre a vida do Burle Marx.

A gente já sabia tudo.
Nino
Eu ouvi que eles falaram do Burle Marx.
Guilherme
Eles estudaram igual à gente.
Sofia N.

Sítio Burle Marx

Estavamos contando os dias no calendário para o tão aguardado passeio, até que, finalmente, chegou o dia da visita ao Sítio Roberto Burle Marx.
O trajeto foi um pouco longo, mas chegar a um lugar tão mágico e cheio de vida foi uma experiência inesquecível.
Fomos recebidos, próximo a uma figueira com mais de 100 anos, por uma guia muito simpática que nos mostrou algumas das mais de 3.500 espécies de plantas que pertencem à coleção, considerada uma das mais importantes do mundo.
Tivemos, também, a companhia do seu Augusto, primo do Burle Marx, que nos contou histórias incríveis.
Além das muitas e diferentes plantas, pudemos ver a sua casa, alguns quadros de sua autoria, uma capela do século XVII e uma coleção de arte popular.

Festa no Parque da Cidade

Escolher o Parque da Cidade para a festa pedagógica do semestre teve como objetivo ocupar esse espaço esquecido de nossa cidade. Muitos de nós guardamos lembranças de momentos felizes de nossa infância passados ali. Pais e professores puderam revivê-los junto a seus filhos e alunos. O tempo não era nada animador, mas resolvemos arriscar. No meio de muitas nuvens, veio o sol. A Pereirinha, reunida no gramado verdinho, cantou, dançou, trabalhou e se divertiu nas oficinas e, quando a festa estava quase para terminar... veio uma chuva fina e gelada que colocou todo mundo, às carreiras, para fora do Parque.

Despedida!

E assim terminamos um ano de muitas descobertas e conquistas. Foi com alegria que acompanhamos o crescimento de cada criança. Ao longo dos meses pudemos presenciar o quanto ampliaram seus conhecimentos sobre o mundo, a natureza, as pessoas e suas possibilidades de interação. Ver como cada um, a seu modo, investiu no convívio coletivo, no exercício de ser um grupo, foi muito estimulante.
É com ótimas recordações que nos despedimos de um ano intenso e feliz.

Música

Som da Floresta

Embrenhando-se na natureza, a turma logo percebeu que deveria pisar de mansinho para não assustar os animais e quebrar o encanto da floresta. “Sou o som, som, som / Da floresta, tá / Fique bem quietinho para me escutar”, Ana moura. Com a história recolhida pela Bia Bedran chamada "Tate kalanque, o menino que não tinha nome", aprendemos uma porção de nomes de àrvores. Essa aprendizagem foi reforçada pela alegre música "Pomar", da dupla Palavra Cantada. Até descobrimos que Pereira vem de pêra, vejam só vocês. Também nos curvamos em reverência
às "Palmeiras Imperiais", como sugere a música de Ana Moura.

Sons Virtuais

Interagindo com o projeto da turma, pesquisamos a sonoridade de diferentes sucatas, objetos descartados pelos moradores da cidade. Por meio de um teclado, selecionamos sons de guitarra, contrabaixo, bateria, sopros para que as crianças pudessem improvisar sobre uma base pré-preparada de "hip-hop". Assim, exploraram uma nova tecnologia, um jeito moderno e urbano de fazer música.

Reciclando Sons

Assistimos ao curta "A Casa do Mestre André", do grupo Udigrudi. Inspirados em seus instrumentos de sucata, garrafas pet, latas e pvc iniciamos a exploração de timbres percutindo, friccionando e, às vezes, pinçando ou soprando. Aproveitamos toda a riqueza do material, dispensado pelas cidades grandes, para fazermos som.

Música em Apartamento

Assistimos ao video "Música para um Apartamento e Seis Bateristas", no YouTube, no qual os diferentes cômodos de um apartamento são tomados por músicos, que passam a fazer "levadas" modernas com timbres inusitados. http://www.youtube.com/watch?v=f2bcPIXl8kc
Apreciar essa exploração foi um convite para que as crianças fizessem suas próprias descobertas.

Expressão Corporal

4x4

Assistimos a um trecho do espetáculo 4x4, da Cia. de Dança Debora Colker, no qual os bailarinos dançam entre vasos, sem derrubá-los. Após a exibição, espalhamos garrafas pet pelo salão, montando nosso cenário. Cheios de estilo, nossos pequenos dançaram livremente entre as garrafas, explorando os espaços vazios e exercendo sua criatividade.

Bolhas

Sobre um imenso tapete de plástico bolha, as crianças foram convidadas a se movimentar. Entre saltos, corridinhas e rolamentos, ouvíamos o estouro das pequenas bolhas. As risadas e alegria dos nossos pequenos foram contagiantes nesse trabalho sensorial.

Entre Folhas

Ainda no campo sensorial, trouxemos inúmeras folhas de amendoeiras para que as crianças pudessem explorar. Elas rolaram, caminharam, correram, pularam e dançaram obedecendo diferentes estímulos sonoros.

Que fruta?

Montamos uma grande mesa com diferentes frutas: uva, jabuticaba, manga, maçã, abacaxi, caju, maracujá, pêra etc. De olhos vendados, usando o olfato, o paladar e o tato, as crianças foram desafiadas a descobrir a fruta que tinham em mãos. Entre risadas e caretas, provaram novos e velhos sabores.