Em construção

Maíra Martins e Augusto Ordine
Passado tá guardado
Futuro não é dado
E é agora que estamos em ação

Toda a nossa existência
Toda a nossa experiência
está neste momento em construção

Tal qual um Niemeyer
eu sou o arquiteto
do meu coração

Mas hoje
No carnaval da Sá Pereira, meu amor
é hora da desconstrução

Se joga, se entrega, sem medo da queda
Na Sá Pereira o carnaval me leva
Se joga, se entrega, sem medo da queda
pois não vai ficar pedra sobre pedra
Em construção

Pedra sobre Pedra,
das Pirâmides ao Minecraft

Paulo Aragão, Nana Vaz, Rita Aragão (F2M) e Miguel Aragão (TCM)
A casa do poeta era engraçada
não tinha teto, não tinha nada
E eu me perguntava como isso pode ser
sem parede não dá pra viver

E assim eu enxerguei toda a beleza
das mãos que ergueram em muitas gerações
as casas, os prédios, as pontes, as fontes
nas mais incríveis construções
Do simples casebre ao maior dos castelos
é tudo tão belo

Pedra sobre pedra, tijolo com madeira
No carnaval meu bloco é o da Sá Pereira BIS

Vou pra bem longe
com a Sá Pereira conhecer as construções
Vou me encantar, me surpreender
tantos mistérios, tanta coisa pra entender

A pirâmide como é que foi erguida sem guindaste?
Como pode a catedral ser tão bonita obra de arte?
A muralha tão comprida é avistada até da lua
Quem sabe é o meu bloco na rua?

Inspiração, que ensina e que diverte
Montando Lego ou jogando Minecraft BIS
Pedra sobre Pedra,<br> das Pirâmides ao Minecraft

Samba em Construção

Pedro Pamplona, Daniel Sztajnberg, Claudio Mendes Moraes e Carlos Gil
Imaginação
Erguendo ideias sobre pedras
Arquitetando um futuro
Na nossa escola Sá Pereira
Arquitetando um futuro
Na nossa escola Sá Pereira

Construção
É o traço do homem no espaço
É linha, é curva, é compasso
Monumentos da história
Favelas, palácios, castelos
Se os muros dividem
As pontes são elos

Janelas que se abrem pro mar
Lugares que tem tanto pra contar

Vou atravessar, o túnel
E encontrar
Outra cidade, a minha cidade
De verdade conhecer o meu lugar

Sai da oca curumim
Vem brincar no meu quintal
Vem vestir a fantasia
Construir o carnaval
Samba em Construção

A Grande Morada

Carlos Nanico de Brito e Bia Ribeiro
Todos fazem morada
Nessa esfera azulada
Terra mãe da batucada
Deste mundo de esplendor (encantador)

Se a aranha rendeira vive só trabalhando na teia
Um enxame de abelhas dentro da colmeia faz mel e geleia real
A raposa se entoca no oco do pau
A cobra se maloca lá no bambuzal
Jabuti mora em si e tem homem moderno que mora no terno

O joão de barro faz sua casa de estuque
Cada ser vivo tem sua manha tem seu truque
Uns simplesmente tem a lona do céu como teto
Mas só pessoas podem fazer um projeto

Do meu chatô, meu bangalô, minha caxanga tão maneira
Do meu castelo lá no alto da ladeira
Eu vi Xangô rolar pedra da pedreira
Pra construir o carnaval da Sá Pereira
A Grande Morada

Da Favela ao Taj Mahal

Marcelo, Ana Paula, Clarinha (F6T) e Lulu (F3T)
Hoje eu vou perguntar e a Sá Pereira vai responder
Pedra sobre pedra, o que o homem pode fazer?

Muitas maravilhas o mundo viu surgir
Com barro, pedra, ferro e fogo para tudo construir

Pedra aqui, ali e mais em cima, apareceu a Muralha da China
Empilha até o infinito e daí as pirâmides do Egito
Explicar eu não me arrisco como fizeram Machu Picchu
Quero chegar ao céu! Engenho e arte e "voilá" a Torre Eiffel

Da favela ao Taj Mahal
Sá Pereira faz seu carnaval

E o que mais vamos construir?
Casa pra morar, ponte para unir
Muita escola para estudar
Parque pra brincar, rua pra ir e vir
(Oh, meu Rio!)

Rio dos Arcos da Lapa, Pão de Açúcar, Maracanã
Porto Maravilha e Museu do Amanhã
O Cristo, a Cobal e a Sá Pereira,
E também muita brincadeira
(É hoje!)
Da Favela ao Taj Mahal

Sá Pereira
Balançando as Estruturas

Gallotti e Oswaldo G. Pereira
Pedra sobre Pedra
Um passinho de cada vez
Para construir o mundo
Foi assim que o homem fez
(BIS)

Desde o tempo das cavernas
A nossa natureza é construir :
Obras que se tornaram eternas,
Lugares pra morar, as ruas pra curtir.
E um monumento de braços abertos
Abençoa nosso carnaval
A marcação bate certo.  ( Alô bateria )
É brincadeira na Cobal.

Pedra sobre pedra
Um passinho de cada vez
Para construir o mundo
Foi assim que o homem fez
(BIS)

Sem um bom projeto
Não se faz a construção
Engenheiro, arquiteto,professor e artesão
Juntos podemos levantar uma nação.
Nossa fantasia verdadeira :
Um mundo mais igual,com mais cultura
É o bloco da Sá Pereira.  ( Alô minha Escola )
Balançando as estruturas.
Sá Pereira <br>Balançando as Estruturas

Construindo o Futuro

Papito e Ian Mello
É com imaginação
Que se começa a transformação
De pedra, tijolo e areia
Em cidades tão lindas, com a construção
BIS

A vila que vai crescendo
Cidade já vai virar
Logo já é metrópole
Com todo seu bafafá

Se a gente não abre o olho
Esta formada a confusão
O que era pra ser lindo
Não vai ficar nem mesmo bom

Com tijolo pedra e cal
Misturado com cimento
O homem constrói casas
Cidades e monumentos

Tem que ser a pedra certa
O tijolo adequado
O cimento vem por cima
Pra deixar tudo ligado

É com imaginação
Que se começa a transformação
De pedra, tijolo e areia
Em cidades tão lindas, com a construção

Colocar sua cabeça
Todo o conhecimento
É construção ousada
Que depende de talento

Com livro e sabedoria
Arte e trabalho duro
A Sa Pereira constrói hoje
O homem do futuro

Tijolo por tijolo
Vou fazendo meu castelo
Com muita pontaria
Na ponta do meu martelo

Essa obra nunca acaba
Tem sempre um tijolo a mais
O conhecimento pleno
Fez o homem mais sagaz

Bate laje, quebra pedra
Vira massa e sobe o balde
So para no carnaval
Pra cantar samba e pagode

Bate laje, quebra pedra
Vira massa e sobe o balde
Carnaval da Sa Pereira
Te joga pro alto, te da um sacode

Carnaval da Sa Pereira
Te joga pro alto, te da um sacode

Carnaval da Sa Pereira
Te joga pro alto, te da um sacode
Construindo o Futuro

Pedra sobre Pedra

Ivana Rego Monteiro
Pedra sobre pedra
Um mundo em construção

Casa de caracol leva consigo
Casa de barro João de barro construiu
Sábios peixinhos que navegam pelo mar
E aranha tece seu próprio lar

Simplicidade a natureza nos ensina
Luxo sustentável
organizam na colméia
As abelhas do céu
Lá que fabricam seu mel

Autogestão é sinal de soluçãoo
Com falta dágua eu não lavo a minha mão
Zum zum zum zum
Refloresta minha cidade
Rio sem água, janeiro arde!

No Carnaval da Sá Pereira eu quero estar
Minha escola, minha rua, meu lar
Lalalaiá
Onde é que vou morar, quando o Rio secar?
(bis)

De pedra e cal
ergo minha moradia
De purpurina e serpentina
Faço minha fantasia(bis)

Os bichos sabem morar bem
Entre os humanos, só mora bem quem tem
Nossos valores, invertidos
A melhor vista é da favela, meu amigo!

Oca, palhoça, barraco, castelo e barracão
Pedra sobre pedra
Um mundo em construção

Cidade para todos? Cidade para quem?
Gamboa sim! (Tum Tum Tum) Gamboa ñão? (Tum Tum tum)
Xô gen-tri-fi-ca-ção!
Pedra sobre Pedra